18.6 C
Distrito Federal
- PUBLICIDADE -
InícioNotíciasJustiçaJustiça Federal da 1ª Região promove roda de conversa sobre acessibilidade

Justiça Federal da 1ª Região promove roda de conversa sobre acessibilidade

- PUBLICIDADE -

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) promove na próxima terça-feira (21/9), às 15h, uma roda de conversa on-line para debater temas relacionados à inclusão e à acessibilidade. O encontro é parte da celebração do Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência (Setembro Azul), com transmissão ao vivo pelo canal do TRF1 no YouTube.

Com o slogan “Acessibilidade e Inclusão para todos, Responsabilidade de cada um”, a proposta é sensibilizar sobre acolhimento, atendimento e cotidiano de pessoas com deficiência, além de reduzir as barreiras atitudinais, promover a inclusão e eliminar o preconceito por meio de divulgação de informação. Normativos relacionados à pessoa com deficiência, depoimentos, cotidiano e experiência de vida das esquipes do TRF1, inclusão no ambiente de trabalho e Língua Brasileira de Sinais – Libras, identidade surda e a cultura surda são alguns dos temas que serão abordados durante o evento. E também será realizada uma apresentação das principais iniciativas da Comissão Permanente de Acessibilidade e Inclusão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (Copaci).

A roda de conversa terá a participação de Kátia Balbino, juíza federal do DF e mestre em Direito, com especialização em Acesso à Justiça pela Universidade de Montreal; Ed Lyra, juiz federal substituto no DF e membro da Comissão Permanente de Acessibilidade e Inclusão do TRF1; Marcos Salenko, mestre e doutor em Ciência da Computação pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), servidor do TRF1 e membro da Comissão Permanente; Cecília Muraro Alecrim, mestre em Psicologia pela Universidade de Brasília (UnB), professora da APAE/DF e colaboradora do Movimento Inclusão com Afeto; e Waldimar Carvalho da Silva, diretor do Departamento de Inclusão Profissional e Educação dos Surdos (Dipes) e professor de Libras.

Fonte: TRF1

 

Fonte: Portal CNJ

- PUBLICIDADE -