18.6 C
Distrito Federal
- PUBLICIDADE -
InícioNotíciasGoiásCom a regionalização, remédio de alto custo é entregue também no interior...

Com a regionalização, remédio de alto custo é entregue também no interior de Goiás

- PUBLICIDADE -

O radiotelejornal O Mundo em Sua Casa, da Brasil Central, iniciou na segunda-feira (11) a série de reportagens denominada Avanço Saúde e a primeira enfocou a determinação do Governo de Goiás de disponibilizar medicamentos de alto custo, que antes só eram distribuídos no Centro Juarez Barbosa, em Goiânia, nas policlínicas espalhadas por todas as regiões do Estado, concretizando em mais um aspecto a regionalização da saúde, definida como uma das prioridades do atual governo. A reportagem ouviu cinco entrevistados e eles foram unânimes em elogiar o programa, observando que facilitou demais a vida de quem precisa desses medicamentos de alto custo e mora no interior.

Ouvido pela reportagem, o governador Ronaldo Caiado falou das dificuldades dos moradores do interior em acessar esses medicamentos e de sua determinação para que isso fosse facilitado a eles: “Imagine bem um cidadão que mora em São Miguel do Araguaia, o outro mora em Mambaí, outro mora em Porangatu, outro em Mineiros, de repente teria de se deslocar a Goiânia para ter acesso ao medicamento de alto custo. Determinamos e essa regra já está ocorrendo hoje. Nossas policlínicas já estão credenciadas para fazer essa distribuição”.

A aposentada Arcélia Almeida disse que era muito difícil pegar o medicamento em Goiânia, precisando mobilizar algum parente que morava na capital para pegar o medicamento no Juarez Barbosa e depois ainda enviar para a cidade de Posse onde ela mora. Erotides Almeida afirmou que isso contribuiu com a região Nordeste de Goiás, que é extremamente pobre. Oézio Ferreira, morador de São Domingos, informou que tinha de ir a Goiânia uma ou duas vezes ao mês para buscar os medicamentos de alto custo e hoje ficou bem mais perto, porque precisa se deslocar somente 150 quilômetros até a policlínica de Posse, na mesma região. A auxiliar da farmácia de Posse, Tatiane Cardoso, explicou que a partir de toda a documentação preenchida, “a gente monta o processo aqui e leva mais ou menos um prazo de sete dias para ser analisado esse processo. Analisado e aprovado, a gente já libera a medicação”.

Fonte: ABC Digital

Fonte: Portal Goiás

- PUBLICIDADE -
Nos siga no Google Notícias

COMENTÁRIOS

- PUBLICIDADE -

Redes Sociais

16,985FãsCurtir
2,458SeguidoresSeguir
61,453InscritosInscrever

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -

Continue Lendo

- PUBLICIDADE -